,

Ilson Henz participa do “Bananalama”, maior encontro de trilheiros do mundo

Ilson é integrante da Companhia da Trilha de Crissiumal, e representou o grupo em Corupá-SC

De 06 a 09 de julho, o município de Corupá-SC realizou mais uma edição do “Bananalama”, considerado o maior evento de trilheiros do mundo. Na última edição, que aconteceu no ano de 2013, mais de 4 mil motos participaram da trilha, tanto que acabou entrando para o Livro Guinnes dos Recordes, que é uma edição publicada anualmente, que contém uma coleção de recordes e superlativos reconhecidos internacionalmente, tanto em termos de performances humanas como de extremos da natureza.

Neste ano mais de 3 mil pilotos participaram da trilha. O crissiumalense Ilson Henz, proprietário da empresa Ilson Motos, participou do Bananalama e na última quarta-feira (02) conversou com a equipe do Jornal Colonial para dar mais detalhes sobre essa grandiosa festa. Ilson é integrante da Companhia da Trilha de Crissiumal, e representou o grupo em Corupá.

Antes de falar sobre a trilha, falou com muito entusiasmo sobre a receptividade e hospitalidade desta pequena cidade, (localizada a pouco mais de 20km de Jaraguá do Sul) que além do ecoturismo é a capital catarinense da banana. Por isso, o evento foi denominado Bananalama, e a maior parte da trilha se dá em meio às bananeiras.

Sobre o Evento Bananalama

Ilson com os amigos de Três Passos

Esta foi a primeira vez que Ilson participou do Bananalama “Decidi participar do evento por dois grandes motivos, ou seja, ter a oportunidade de andar de moto com meus amigos em uma trilha em meio à natureza e, conhecer esse evento considerado o maior encontro de trilheiros do mundo”.

O evento reúne pessoas do país inteiro e envolve a todos através de uma programação intensa. Iniciou na quinta-feira (06-07), com apresentação de bandas, freestyle com a equipe Pro Tork Road Show, houve também shows sertanejos, pop/rock, show de freestyle com bicicleta e kart. O evento principal do Bananalama foi a trilha, que teve início às 9h da manhã de domingo, onde participaram motos, quadricíclos e UTVs (gaiolas). Neste dia, cerca de 70 mil pessoas estiveram presentes. Tudo aconteceu nas dependências do Seminário Sagrado Coração de Jesus, que sede sua estrutura em todas edições. “Eu fiquei impressionado com a organização deste evento, pois, imagina se ao menos a metade desse povo almoçou lá, já seriam mais de 30 mil pessoas…e eu devo afirmar que o almoço foi excepcional, uma comida caseira de primeira qualidade”, comentou Ilson.

Em virtude de uma viagem de negócios, Ilson só chegou no Bananalama no sábado a tarde, onde logo encontrou conhecidos aqui do RS, amigos de Três Passos, Três de Maio e de Palmitinho. Passou a noite na casa de amigos de Miraguaí, que moram próximo ao seminário. “No domingo foi uma verdadeira festa, tive a felicidade de passar o dia com meus amigos e a trilha foi muito legal. A adrenalina toma conta de nossas veias, pois fazer trilha com milhares de motos é emocionante”, afirmou.

Disse que neste ano o número de participantes foi um pouco menor do que 2013, pois foi organizado de forma um pouco diferente, o valor da inscrição era um pouco maior. O município decidiu focar mais na qualidade do que na quantidade, considerando que é preciso muita estrutura para hospedar e abrigar tantas pessoas, em um município com cerca de 14 mil habitantes”.

A trilha

Foram sorteadas 10 motos e 01 quadricíclo entre os trilheiros inscritos, mas os prêmios não tinham nenhuma relação com a classificação. O que chegou em primeiro lugar ou o último tiveram as mesmas chances de ganhar um prêmio. “Não foi uma competição para ver quem chegava primeiro, na verdade foi uma grande aventura, com obstáculos, dificuldades, muita lama e atoleiros”, comentou sorridente. Em relação ao grau de dificuldade da trilha, Ilson a comparou com as trilhas de nossa região, porém, o grande número de motos fez com que os pilotos que ficaram para trás enfrentassem mais dificuldades, pois as motos da frente já arraram a terra e abriram atoleiros.

Ilson correu com uma moto importada de 300 cilindradas, da marca Gás Gás. A maioria dos pilotos participou com motos especialmente preparadas para trilha (off-road), mas a criatividade rolou solta, teve gente fantasiada e veículos para lá de exóticos, como é o caso da Honda CG 1979, de Felipe Kinn, muito aplaudida ao cruzar o arco de chegada. “É uma moto street, que uso no meu dia a dia. Resolvi tirar o tanque, improvisei-o em uma garrafa de refrigerante, deixei só o esqueleto mesmo, ficou engraçada. A vovozinha é guerreira, foi bem na trilha e eu me diverti bastante”, afirma o empresário de 34 anos, da cidade de Monte Negro (RS). A participação das mulheres na trilha também vem aumentando nos últimos anos.

Veja mais fotos em: http://www.bananalama.com.br/ ou na página do Bananalama do Facebook

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer deixar o seu comentário?
Sinta-se a vontade para contribuir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × um =