oscarA cor do vinho é um aspecto da degustação que pode dar muita informação. O processo de elaboração, a idade do vinho e o grau da evolução e sua estrutura, entre outros, são informações que podemos deduzir ao observar a cor do vinho.

Como vocês já sabem, a cor do vinho se extrai da pele da uva. O contato da pele macerando com o mosto permite a extração da cor. No caso do vinho tinto, a maceração se prolonga inclusive durante a fermentação, até conseguir a cor desejada pelo enólogo. Pelo contrário, o rosé necessita una maceração mais curta, pois a cor deve ser mais ligeira. Por outro lado, no caso dos vinhos brancos a extração da cor das peles é mínima e a maceração se realiza somente para extrair o máximo dos aromas, que também estão presentes na pele.

Portanto, falando dos tintos, a cor e a quantidade de taninos vão de mãos dadas. Quer dizer, quanto mais intenso é a sua cor, com certeza terá mais corpo e quantidade de taninos. Ao contrário, se o vinho tem uma cor suave, isso indicará que tem um corpo mais ligeiro e quiçá seja mais curto em boca, ainda que isso não desvaloriza a qualidade do vinho, pois aroma, acidez, álcool e doçura também colaboram no equilíbrio do resultado final.

Os matizes da cor de um tinto indicam sua idade e evolução. Se as tonalidades tendem ao vermelho rubi ou púrpura, o vinho é jovem. Quando esse mesmo vinho envelhece, suas tonalidades passam a tons tijolo ou telha, tons mais alaranjados.

No caso dos brancos, a evolução da cor indica o contrário. Quando um vinho branco é jovem suas tonalidades são muito pálidas. Com reflexos de amarelo pálido, cor palha ou esverdeados. Por outro lado, conforme vão acumulando mais idade, os matizes evolucionam até tons mais dourados ou inclusive ambarinos.

Os rosés evolucionam desde os tons rosados quando são mais jovens, até tonalidades mais alaranjadas, laranjas pálidos ou inclusive amarelados quando tem mais idade. Falando de vinho rosé, provavelmente você já escutou algo parecido a isso: “…não existe tanta uva rosé para fazer vinho rosé. Isso deve ser química ou vinho tinto aclarado com vinho branco…” Pois vamos aclarar que esta prática está proibida. E, em realidade, o vinho rosé se elabora com uva tinta. A intensidade da sua cor, como comento acima, vem dada pelo tempo de maceração do mosto com a pele da uva.